Naviraí, Quinta-Feira   16 de Agosto de 2018

12/06/2018


Navirai volta a ter usina de produção de açúcar e álcool

A Usina Rio Amambai Agroenergia, localizada no municipio de Naviraí, na margem esquerda do quilõmetro 118 (sentido sul - norte) da rodovia BR-163, cerca de 500 metros após o rio que faz a divisa dos municípios de Itaquiraí e Naviraí, deve ser  inaugurada em solenidade a ser realizada no dia 14 (quinta-feira), às 10h, com a presença do prefeito Izauri José de Macedo (DEM) e outros convidados.

EDILSON OLIVEIRA

Os gestores da usina Rio Amambai Agroenergia disseram que é preciso a união de todos os interessados para haver o desenvolvimento do empreendimento industrial que já está sendo viabilizado com os produtores, que já estão cultivando 16,5 mil hectares e que conta com um viveiro de 370 hectares e eles querem contar com a parceria dos produtores para ampliar a produção.

Os produtores terão à sua disposição 20 variedades de cana para produzir e vender para a industrialização com a moagem de 700 mil toneladas a 3,5 milhões de toneladas de matéria-prima (cana) para obter açúcar e álcool, em quantidades ainda não estimadas. Primeiramente 1,15 mil trabalhadores estarão em atividade para produzir etanol e logi em seguida deve ser inciada a produção de açúcar (em dayta a ser ununciada). 

A retomada da produção da usina deve acontecer com cerca de 700 trabalhadores contratados, que agem no campo (cultivando as plantas) e na indústria (reformando as instalações e montando equipamentos). Cerca de 350 trabalhadores somam esforços em empregos indiretos que debem ser somados a outras centenas de trabaladores que devem ser contratados a medida em que a produção possa crescer. Até agora, no total, há 1,15 mil contratados.

Uma reforma foi feira no parquq industrial. As chaminés da usina foram trocadas, o mesmo acontecendo com a moenda e as turbinas, o depósito de defensivos novos, lagoa aprovada pelo Imasul. Todos os funcionários estão passando por cursos e treinamentos, como já ocorreu com os operadores de máquinas e com os tratoristas.

Até agora, na reformulação do parque industrial original da indústria sucro-alcooleira de Naviraí já houve o investimento de R$ 100 milhões, incluindo as novas instalações para a vinhaça, com dois quilômetros de tubulação até as bacias de decantação, com proteção impermeável para o solo e posterior distribuição para a ferti-irrigação.

Recentente os administradores do grupo Amerra Capital Management (gestora junto com a associada CarVal Investors) visitaram Naviraí e promoveram um dia de campo, com a participação de cerca de uma centena de pessoas, incluindo algumas dezenas de agricultores (plantadores de cana), parceiros de investimentos, representantes comerciais, de cooperativas, agentes de créditos bancários e o prefeito Izauri de Macedo - DEM (acompanhado do gerente de Desenvolvimento Econômico – Fernando Kamitani), da PMA e do presidente da Câmara Municipal - Jaimir José da Silva (Jamil - PDT).

A usina deve produzir açúcar e álcool e também ficará em condição de gerar energia do bagaço da cana para vender, mas a novidade foi a declaração de que haverá a adequação da planta industrial para a produção de etanol de milho, um projeto que deve ser detalhado e divulgado e um futuro próximo.

AMERRA - CARVAL

 Unidade, que pertenceu à Infinity Bio-Energy, era controlada por meio de uma parceria entre a Amerra e a CarVal -

Em um acordo fechado em dezembro de 2017, a gestora americana de fundos Amerra Capital Management passou a ser a única acionista da Usina Naviraí (antiga Usinavi). A unidade, localizada no município de mesmo nome em Mato Grosso do Sul, tem capacidade de moer 3,4 milhões de toneladas de cana por safra.

Desde 2016, a Usina Naviraí estava sendo administrada pela Amerra e pelo fundo de investimentos CarVal Investors, formado por funcionários norte-americanos da multinacional Cargill e com atuação independente. Agora os novos administradores a denminam como Usina Rio Amambai.  

Segundo informações do Valor Econômico, agora, a gestora de fundos adquiriu a participação de 50% da CarVal. Contudo, não foram divulgados detalhes da negociação ou o valor da aquisição.

Ambas as companhias eram credoras da Infinity Bio-Energy, antiga controladora da usina, que, em 2016, estava em recuperação judicial e acumulava dívidas de mais de R$ 2 bilhões. Na ocasião, a Amerra também passou a controlar outra usina da companhia, a Ibirálcool, em Ibirapuã (BA).

De acordo com cálculo da consultoria EXM Partners, que realizou o plano de recuperação da Infinity, o valor da Usina Naviraí em 2016 era de R$ 521 milhões. Na época, entretanto, o valor da dívida da usina era de R$ 943,48 milhões.

falência da Infinity Bio-Energy foi decretada aproximadamente um ano depois, em julho de 2017.

 

Fonte: Sulnews

<